Você cria anúncios ou conteúdo no Facebook?

O conceito de marketing pelas redes sociais é novo, fato! Mas, mesmo sendo um conceito novo e que até agora nós não temos a real dimensão de seu poder, pode-se perceber que o formato de trabalho desenvolvido nas mídias sociais, não pode ser convencional, e sempre precisa se reinventar.

Por isso, você sempre deve se perguntar que tipo de postagem está indo para sua rede social, anúncio ou conteúdo? Calma. Não estou dizendo que conteúdo é melhor do que anúncios ou vice e versa. Na verdade, ambos são importantes para que você alcance seus objetivos de venda pela rede social, o que você precisa saber é como moderar a atuação de ambos.

Antes de tudo, entenda que a rede social para empresa não foi inventada para que as corporações tivessem um outdoor particular virtual, no qual pudesse bombardear o seu público de promoções e textos como “venha! compre! x% off”, mas sim, como um meio de se relacionar com seu público. Destaquei a palavra “relacionar” porque você deve gravar ela. Essa palavra será de vital importância nos nossos próximos artigos.

Como foi dito a alguns artigos atrás, o alcance das páginas no Facebook diminuiu e o que passou a ter maior impacto para a rede social foram os comentários e compartilhamentos. Também vimos que uma compra de links patrocinados descoordenada e abusiva, pode causar consequências negativas para a sua página, trazendo seguidores irrelevantes para sua organização.

Preparamos algumas dicas para que você se saia bem nos próximos posts:

1- Organize a quantidade de posts que serão feitos:

Esse parâmetro é muito variável. Para você ter a real noção de quantos posts são necessários use uma métrica muito utilizada nas estratégias de mídia das agências de propaganda: quando você possui um negócio de alta concorrência (que se caracteriza por ser algo comum) Ex; padaria, em um bairro com 5 padarias, utilize uma quantidade maior. Costumo dizer que não é a quantidade, mas a qualidade. Meu parâmetro de máximo de posts é 3 por semana e caso deseje atingir o seu público mais do que isso, busque outros veículos para fazê-lo.

Após estabelecer esse parâmetro, destine 80% dos seus posts para entretenimento. Isso é o que chamamos de conteúdo. O fato de ser conteúdo, não quer dizer que não possa haver algum tipo de menção a sua marca. Isso somente quer dizer que a mensagem deve atrair o seu público sem o objetivo principal de venda. Use de recursos bem humorados, reflexivos, chame eles para brincar de alguma coisa, interaja, enfim, é o momento de você cultivar o relacionamento com eles. Para os outros 20% de posts, utilize-os para mostrar seus produtos e vender seu peixe (o que não quer dizer que não possa ser um conteúdo interativo e legal).

2- Utilize as informações de alcance:

Às vezes você cria aquele conteúdo massa! Mas para sua frustração, ele tem poucas curtidas e às vezes, nenhum comentário ou compartilhamento. Em alguns casos, isso pode ser aferido ao dia ou horário que você fez a postagem. Apesar de haverem informações sobre audiência das redes sociais, de acordo com o perfil do público, esses horários e dias de audiência podem mudar. Com isso, as informações mais relevantes de audiência são as da sua própria página.

3- Se pergunte: eu curtiria ou compartilharia isso?

Esse conteúdo tem que ser algo que você também sinta vontade de participar. Além disso, busque opiniões de terceiros. Se foi uma piada, veja se ficou bem entendível, se não foi ofensiva e se não causaria algum tipo de desconforto para seu público. Evite utilizar temas como política, religião e sexualidade, pois, são muito delicados. Procure assuntos que sejam a cara de sua organização e que até, sejam sua cara.

4- Seja autêntico e criativo:

As melhores ferramentas que você pode usar são: criatividade e autenticidade. Nem sempre uma postagem produzida no Photoshop é o que o povo quer ver. Aqui na agência, por exemplo, criamos um setor de conteúdos autênticos, no qual, fazemos visitas aos nossos clientes para criar vídeos e fotografias autênticas e dentro de uma pauta baseada em pesquisa e planejamento, porque identificamos que fotos de banco de imagem causam uma resistência as pessoas.

5- Sempre bem produzido:

Entenda, disse que nem sempre o photoshop é a saída. Isso não quer dizer que a coisa deva ser feita de qualquer forma. Quanto melhor produzido for seu conteúdo, maior será sua aceitação orgânica. Se é um vídeo, se preocupe em ter uma câmera boa, pegar bons planos, um cenário legal e um áudio bom. Se for foto, boa iluminação, contraste, resolução, e os softwares fazem só retoques.

6- Só coma depois de lavar as mãos:

Em alguns casos, vender na internet é mais complicado. Mas para todos os segmentos, aconselho a não tentar vender antes de conquistar seu público. Isso soa como desesperado e é chato. Nós presenciamos na agência muitos casos de clientes que passaram a aderir esse perfil e os seguidores procuravam eles no inbox para comprar seus produtos, descartando completamente a linguagem outbound de “venha! compre!”.